Estudante finge ter câncer terminal e é presa
   Jim  Ferrari  │     26 de dezembro de 2015   │     7:00  │  0

Em condição “debilitante”, a jovem recebeu o carinho de entes queridos em seu suposto leito de morte, com familiares e amigos que choravam pela situação dramática.

Em condição “debilitante”, a jovem recebeu o carinho de entes queridos em seu suposto leito de morte, com familiares e amigos que choravam pela situação dramática.

Uma estudante que fingiu ter câncer terminal e enganou família, amigos, e sua tutora foi presa.

Elisa Bianco, de 22 anos de idade, foi cuidada por sua tutora, Sally Retallack, quem conheceu depois que se matriculou em um curso universitário da St Austell College, em Cornwall, no Reino Unido, no ano de 2009.

Sally era a professora do curso e depois de ficar mais íntima da então adolescente, largou seu emprego e passou a cuidar da jovem em tempo integral.

Depois que a farsa foi descoberta, Elisa foi presa por dois anos e oito meses. No tribunal que tratou do caso, foi dito que ela possuía vício em atenção e em ser cuidada.

Depois que a farsa foi descoberta, Elisa foi presa por dois anos e oito meses. No tribunal que tratou do caso, foi dito que ela possuía vício em atenção e em ser cuidada.

A mulher foi enganada com falsos exames, gastou milhares em uma lista de desejos que seriam realizados antes de a menina morrer, levou-a a consultas médicas e até mesmo compartilhou sua cama com ela por acreditar que Elisa estivesse sofrendo dor constante.

O marido de Sally, que não identificado, a deixou depois disso. A mulher chegou a organizar uma “última” festa de aniversário para a menina.

Sua meia-irmã, Katie, de 28 anos, contou que ela e a tutora de Elisa, de Fowey, Cornwall, ficaram muito tristes depois que a “doente” disse que estava cansada durante a noite feita especialmente para ela.

Tags:, , ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *